Análise da potencialidade de uso de compostos à base de MgSO4 e MgB4O7 em monitoração de radiação beta

A. R. Cruz, D. N. Souza, L. F. Souza, D. F. Vasconscelos

Resumo


Os dosímetros termoluminescentes exercem um papel fundamental na medição de diversos tipos de radiações. Os sulfatos, como tipo de material dosimétrico, vem sido de utilizados por mais de 20 anos. O fósforo que tem sido investigado para a dosimetria é o sulfato de magnésio. O objetivo desse trabalho foi o de apresentar os resultados do desenvolvimento de dosímetros à base de sulfato de magnésio para a dosimetria beta (A literatura apresenta resultados para os materiais estimulados com radiação gama, Raios X, etc.). Os compósitos analisados foram o MgSO4:Dy, MgSO4:Tm e o MgB4O7:Dy. Amostras de MgSO4:Tm e MgB4O7:Dy foram produzidas através de uma adaptação do método de crescimento de cristais descrito por Yamashita em 1971, e o MgSO4:Dy foi produzido através de um novo método chamado de recristalização, substituindo o ácido por água. Após a etapa de crescimento, os cristais foram submetidos a tratamentos térmicos a 900°C durante 5 horas para os sulfatos de magnésio e de 400°C durante duas horas para o tetraborato de magnésio, e em seguida, foram submetidos a irradiações com fonte beta 90Sr+90Y, com doses de 1 a 40 Gy. Finalizando o processo, foram obtidas as curvas de resposta termoluminescente numa leitora termoluminescente Harshaw 3500. Através dos resultados obtidos, podese concluir que o material apresenta potencial para a medição de radiação beta. As curvas de emissão TL apresentaram picos de emissão entre 70°C e 350°C, que é uma faixa de temperatura adequada para
dosimetria.

Palavras-chave


Dosimetria TL; sulfatos; radiação beta

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.