Agentes Comunitários de Saúde e a promoção do uso racional de medicamentos no nordeste do Brasil

Tatiane Cristina Marques, Dyego Carlos Souza Anacleto de Araujo, Alécio Rabelo Gama, Giselle de Carvalho Brito, Ricardo Goes de Aguiar, Elisdete Maria Santos de Jesus, Adriana Andrade Carvalho, Neidimila Aparecida Silveira, Luciana Lucena Aranha de Macêdo, Divaldo Pereira de Lyra-Junior

Resumo


Os agentes comunitários de saúde (ACS) são importantes atores no processo saúde-doença da comunidade. Este trabalho objetivou descrever o papel dos ACS na promoção do uso racional de medicamentos. Foi realizado um estudo exploratório em três municípios do Nordeste brasileiro entre os anos de 2013 a 2017. A coleta de dados foi realizada por meio de questionários autoaplicáveis.  Participaram do estudo 267 ACS; os idosos foram os usuários que mais solicitam informações sobre medicamentos aos ACS (84%); as principais dúvidas dos usuários estiveram relacionadas à frequência/horário de uso dos medicamentos (86%); a automedicação foi considerada a principal situação de risco identificada pelos ACS (86%); 84% dos ACS referiram não ter conhecimentos suficientes para dar informações sobre medicamentos e apenas 14% afirmaram ter recebido treinamento com essa temática. Embora os ACS frequentemente identifiquem situações de risco envolvendo o uso de medicamentos, não se sentem seguros para orientar a comunidade.


Palavras-chave


Agentes Comunitários de Saúde, atenção primária à saúde, uso de medicamentos

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14808/sci.plena.2020.094501

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.