Geoquímica das águas do reservatório Poção da Ribeira, Agreste Central de Sergipe

Carlos Eduardo Oliveira Santos

Resumo


Nesse trabalho foi avaliada a qualidade da água do reservatório Poção da Ribeira, em relação à dominância iônica e suas características para uso na irrigação. O reservatório foi construído pelo governo do estado de Sergipe, com o objetivo de fornecer água ao perímetro irrigado Poção da Ribeira e entrou em operação no ano de 1987. Atualmente, também utilizado para a piscicultura e abastecimento humano, após tratamento. Foi elaborado um plano de coleta de amostras de água superficial, levando-se em consideração a distribuição das chuvas para a região (períodos secos e chuvosos), totalizando sete campanhas amostrais distribuídas nos anos de 2013, 2014 e 2015, sendo uma amostra de água para cada campanha. Em cada amostra foram analisados os seguintes parâmetros: condutividade elétrica, sódio, potássio, cálcio, magnésio, cloreto, sulfato e bicarbonato. Para a avaliação da dominância iônica foi utilizada a técnica de balanço iônico, realizada através da ferramenta geoquímica gráfica denominada diagrama de Piper. A característica da qualidade para o uso na irrigação foi verificada utilizando-se a metodologia proposta por Richards, por meio do diagrama de Wilcox. Nos períodos chuvosos as águas foram classificadas, predominantemente, como mistas/cloretadas e as estações secas como sódicas/cloretadas, demonstrando a influência das precipitações na composição química das águas. Quanto ao uso para irrigação, a avaliação revelou baixo risco de sodicidade e risco médio de salinização.


Palavras-chave


Composição iônica, diagramas hidroquímicos, salinização

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14808/sci.plena.2017.109906

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Carlos Eduardo Oliveira Santos
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.