Estudo etnobotânico de plantas medicinais utilizadas como hipoglicemiantes por usuários do Programa de Fitoterapia da Universidade Federal do Maranhão, Brasil

Kayque Almeida dos Santos

Resumo


O uso de plantas medicinais no tratamento de enfermidades tem ocorrido há muitos anos, sendo a única terapia de certas comunidades. O Diabetes Mellitus é uma desordem metabólica caracterizada pela hiperglicemia, associada a outros fatores de risco. Este trabalho teve como finalidade realizar um levantamento de plantas medicinais utilizadas como hipoglicemiantes por usuários do Programa de Fitoterapia da Universidade Federal do Maranhão – UFMA, São Luís, Maranhão, Brasil. Foram entrevistadas 100 pessoas, através de questionários semiestruturados com obtenção de dados socioeconômicos e variáveis farmacobotânicas com listagem livre de plantas, aplicados entre os meses de março e junho de 2016. A maioria dos entrevistados era do sexo feminino (62%), com idade entre 30 e 59 anos (62%) e ensino médio completo (48%). Foram mencionadas 28 espécies vegetais com a finalidade hipoglicêmica, sendo a berinjela (Solanun melongena L.) a mais citada (31%). As folhas foram as partes da planta mais utilizadas (45%) e infusão foi a forma de preparo mais indicada pelos entrevistados (43%). O estudo das plantas realizado poderá auxiliar estudos posteriores no desenvolvimento de novos medicamentos para o tratamento de diabetes.


Palavras-chave


Etnofarmacológico. Diabetes. Medicina Popular.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14808/sci.plena.2017.034501

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Kayque Almeida dos Santos
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.