Coeficientes de Tanque Classe A para estimativa da evapotranspiração de referência diária na região de transição Cerrado-Amazônica

Adilson Pacheco de Souza, Frederico Terra de Almeida, Kelte Resende Arantes, Charles Campoe Martim, Jackson Oliveira da Silva

Resumo


 

Este trabalho objetivou avaliar diferentes metodologias de obtenção do coeficiente do tanque Classe A (Kp) e propor coeficientes numéricos de Kp para estimativas simplificadas da evapotranspiração de referência (ET0), em diferentes agrupamentos de dados (anual, sazonal e mensal), nas condições climáticas de Sinop, região Médio-Norte de Mato Grosso (11°58’ S e 55°38’57” W), entre 01/08/2010 e 30/06/2013. Foram avaliadas oito metodologias de obtenção de Kp e as correlações entre a ET0 estimada pela evaporação do tanque Classe A (ECA) e por Penman-Monteith FAO 56 (PMF). Na avaliação do desempenho estatístico foram empregados os indicativos erro absoluto médio (MBE), raiz quadrada do quadrado médio do erro (RMSE), índice de ajustamento (d), coeficiente de correlação (r) e índice de desempenho (c). Pelo método de PMF, as médias mensais oscilaram entre 3,18±0,49 (junho) e 4,83±0,69 (dezembro). Para os métodos baseados na ECA, os maiores valores de ETo ocorreram no inverno/primavera e os menores no verão. As correlações geradas em agrupamentos anuais apresentaram as melhores estimativas, sendo recomendadas para a região as correções de Kp por Cuenca (0,7795) e Snyder (0,7517) ou as correções diretas da ECA por Kp = 0,7585.



Palavras-chave


tanques evaporimétricos; manejo de irrigação; indicativos estatísticos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.