História do Ensino de Espanhol no Brasil

Anselmo Guimarães

Resumo


Este trabalho tem como objetivo analisar o processo de institucionalização do ensino de espanhol no Brasil através da legislação educacional, de 1919 a 2005. O período de recorte a ser estudado foi escolhido tendo em vista dois eventos importantes: o primeiro é o concurso público que selecionou o
primeiro professor catedrático de espanhol do Colégio Pedro II, Antenor Nascentes, e o segundo é a aprovação da Lei 11.161, de 5 de agosto de 2005, que instituiu a obrigatoriedade da oferta de língua espanhola no ensino médio e facultativa para o ensino fundamental da 5ª a 8ª séries (atualmente do 6º ao
9º ano). Analisaremos as finalidades pedagógicas, políticas e culturais da implantação do ensino do espanhol na instrução pública brasileira. Assim, as motivações para implantação do espanhol no colégio de Pedro II, a reforma de Capanema na década de 1940, as LDB’s de 1961, 1971 e 1996 e a nova “Lei do Espanhol”, como está sendo chamada a Lei 11.161/2005 que traz a obrigatoriedade de oferta do espanhol pelas escolas de nível médio, serão analisadas neste trabalho.


Palavras-chave


Ensino do Espanhol; Lei 11.161/2005; Instrução Pública; Disciplina Escolar

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.