Análise preliminar das trocas gasosas, fluorescência de clorofila e potencial hídrico caulinar do juazeiro em uma região semi-árida de Sergipe, Brasil.

Autores

  • Lívia Maria de Jesus Santos Universidade Federal de Sergipe
  • Elizamar Ciríaco da Silva
  • Carlos Dias da Silva Junior

Palavras-chave:

Caatinga, eficiência quântica, estresse hídrico

Resumo

Este trabalho teve o objetivo de realizar uma análise preliminar das variações nas trocas gasosas, fluorescência de clorofila a e potencial hídrico caulinar de plantas de juazeiro (Ziziphus joazeiro Martius) em condições de campo em uma região no Alto Sertão no Estado de Sergipe, com o intuito de compreender as estratégias de sobrevivência utilizadas por esta espécie às condições climáticas locais, com escassez de chuvas e elevados índices de temperaturas e radiação solar. Para isto avaliou-se a eficiência do fotossistema II (Fv/Fm e Fv/F0), a área da curva OJIP e o índice de performance (IP); além da taxa fotossíntetica, condutância estomática, transpiração e potencial hídrico caulinar. Os dados da fluorescência apontaram que os indivíduos apresentaram taxas dentro do normal, não indicando condição de estresse. A taxa de fotossíntese (A) foi mais elevada no período da manhã, onde os estômatos estão abertos e o fotossistema em pleno funcionamento, e decresceu gradativamente ao longo do dia até atingir valores negativos no período da tarde, onde a condutância estomática (gs) e a taxa de transpiração (E) também foram mais baixas evitando desta forma a perda excessiva de água. O potencial hídrico caulinar (Ψw) variou ao longo do dia, sendo mais negativo no período da manhã. Concluiu-se que esta espécie apresenta estratégias de sobrevivência eficientes, mantendo seus tecidos hidratados em horários com temperaturas mais altas e umidade relativa do ar baixa e assimilam em horários com condições mais favoráveis, evitando desta forma a perda excessiva de água.

 

Downloads

Publicado

2014-03-04