Estudo preliminar dos teores de metais potencialmente tóxicos em solo após disposição de lodo in natura da estação de tratamento de água

Bruno Lucio Meneses Nascimento, Jorge Diniz de Oliveira, Suely Silva Araújo, Gildivan dos Santos Silva, Régis dos Santos Bráz

Resumo


Devido ao fato do lodo sofrer intensa influência antrópica o seu aproveitamento deve ser fonte de estudos, pois o mesmo apresenta quantidades significativas de metais potencialmente tóxicos e caso manejado incorretamente poderá contaminar o solo e a água no local de disposição. Sendo assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da aplicação do lodo da estação de tratamento de água sobre as características químicas e nos níveis de metais potencialmente tóxicos de um solo de textura média. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com quatro tratamentos e quatro repetições, totalizando assim 16 unidades experimentais. Cada unidade experimental consiste em um vaso de polietileno preenchido com 6 kg do substrato (solo ou solo + lodo). O primeiro tratamento foi constituído apenas por solo, funcionando como testemunha. Os outros tratamentos foram constituídos de doses de lodo que correspondiam a 75, 150 e 250 kg lodo por ha-1. O estudo foi desenvolvido no laboratório de química do CESI-UEMA. A adição do lodo promoveu alterações significativas em algumas propriedades químicas do solo, como CTC, matéria orgânica e pH. Essas alterações contribuíram para aumentar a fertilidade natural do solo em estudo. Nas condições estudadas os teores de cobre, chumbo e crômio estão dentro dos limites toleráveis destes metais em solos segundo critérios estabelecidos pela CETESB e pelo CONAMA

Palavras-chave


Chumbo; Resíduo; Química do Solo

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.